quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Encontro Norte Nordeste da Rede Mocambos e III Encontro Quilombola do Sul da Bahia
















































ação

Dia 03 - Quarta

Das 10 às 17h – Traslados aeroporto – Itacaré Receptivo, credenciamento.

20h Abertura com a Marcha Zumbi Vive

concentração na escola Manoel Castro

Dia 04 - Quinta

8:00 as 11:00hs - Roda de Saber Território Quilombola

Mediadora: Paula Bauduino

Colaboradores:

  • Rota dos Baobás e a ancestralidade na constituição dos nossos territórios -Mestre TC (confirmado)

  • Balanço do processo de regularização Fundiária do INCRA / Principais entraves da regularização quilombola / ADI 3239 do DEM Contra os Quilombolas - Givânia Silva - INCRA (a confirmar)

  • Apresentação do histórico do processo de regularização do Quilombo Campinho da Independência(RJ) e reflexão sobre a conjuntura atual da regularização dos territórios quilombolas - Ronaldo Santos - representante da Conaq (confirmado)

  • Certidões de Auto reconhecimento quilombola e o asseguramento do Território Físico e Simbólico dos quilombos- Maurício Reis - Departamento de Proteção ao Patrimônio Afro-Brasileiro da Fundação Palmares (a confirmar)

11:00hs as 12:00hsRoda de Encontro e Ação (Debate a respeito do tema central)

Tenda Comunica:

(OBS)-Esta tenda fará a cobertura de todo o encontro, fotografia, vídeos, entrevista com os participantes, oficinas etc (equipe específica a ser formada pelo pessoal da comunicação

Tela Preta

"No mundo por meio do qual eu viajo, eu sou infinitamente criador de mim mesmo."(Fanon) “A arma mais poderosa do opressor é a mente do oprimido” (Steve Biko)

- Proposta de (re)flexão sobre a construção e representação da cultura negra na produção audiovisual tanto nos aspectos técnicos como nos ideológicos. Depois de termos passado por uma oficina de Georeferenciamento e por outra sobre a Nova Cartografia Social gostaríamos de trabalhar a representação simbólica que é feita de nossa cultura. A partir, daí queremos trocar idéias e vivências sobre como o audiovisual pode contribui tanto para a manutenção do poder e naturalização de alguns pré-conceitos sobre o nosso povo como pode contribuir para a revalorização e resignificação do contar a nossa história. - Responsáveis pela Atividade: Ike Banto e Rosana Meneses.

12:00 as 13:30– almoço



13:30 as 16:00 Roda de Saber Território e Políticas Públicas

  • Como o Programa Territórios da Cidadania tem contribuído e atuado para manutenção e garantia dos territórios quilombolas – Renata Leite MDA/Barbara Sousa- Casa Civil - (a confirmar)

  • Como o Programa Brasil Quilombola tem contribuído e atuado para manutenção e garantia dos territórios quilombolas - Alexandro Reis - SEPPIR - (a confirmar)

  • Apresentação da participação quilombola no programa Território da Cidadania, no estado de Alagoas –Jose Petrúcio dos Santos-Comissão Quilombola do Estado de Alagoas/ CONAQ (confirmado)

  • Reflexão sobre as políticas públicas para o povo negro no Brasil - Zélia Amador de Deus (CEDENPA) - (confirmada)

13:30hs as 16:00hs - Roda de Saber Território e Legislação

  • História de lutas do povo Negro no Brasil - Ike Banto - (confirmado)

  • Racismo Institucional - Nilma Bentes (CEDENPA) - (confirmada)

  • Jurisprudência: que leis podem contribuir para a garantia dos nossos direitos?? - Procuradoria da Fundação Cultural Palmares e advogada da SEPPIR Drª. Maria Isabel (a confirmar)

16:00hs as 19:30hs– Roda de Encontro e Ação (Debate e sistematização dos Resultados)

19:30 – Janta

20:30 às 22:30 – Cultural no Quilombo do Porto de Tras

Dia 05 - sexta

Roda de Saber Economia Colaborativa

olaboradores:

  • A Experiência do Banco Comunitário do Maranhão - o pensamento financeiro comunitário: Sérvulo Borges/ Projeto Etnodesenvolvimento e Economia Solidária - (confirmado)

  • Software Livre Brasil e do movimento de economia solidária - EVERTON RODRIGUES - educador popular, produtor cultural, técnico e consultor em tecnologias livres - (a confirmar)

  • A Experiência do Turismo de Base Comunitária em rede - Rosa Martins - Rede de Turismo Solidário - Rede Tucum/CE - (confirmado)

  • Uma outra Economia e as Políticas Públicas - Gabriela Cavalcanti Cunha – Pesquisadora e militante da economia solidária - (confirmada) e Andréia Saraiva - Consultora SCC/MinC (confirmada)

  • A Rota de escambo Baobá - estratégias para propor uma economia diferenciada - Say Malta - Articuladora do Núcleo de Formação continuada do sul da Bahia - (confirmada)

Roda de Saber Gênero

  • Reflexões de Gênero a partir do teatro do oprimido - Preta Gil - Piauí (confirmada)

  • Articulação de Economia feminista a partir da experiência territorial – Edimare Ribeiro Costa- Comitê de Mulheres do Território Litoral Sul - confirmada

  • Programas quilombolas e organização de mulheres - Cida Mendes - Conaq/ PE - confirmada

  • Economia Solidária e Mulheres Quilombolas - Maria de Lurdes/IMENA

Roda de Saber Juventude e Cultura

  • Hip Hop e a mobilização pelos direitos sociais e econômicos da juventude- Lamartine (Conselheiro Nacional de Cultura/Articulador Rede Mocambos-MA)confirmado

  • Protagonismo juvenil negro e estrategias de organização da Juventude - Elder Mahim - Fórum Nacional de Juventude Negra (confirmado)

  • O Hip Hop e a Mucambo Nus Panos - Identidade e economia da juventude negra - Gilsão - Associação Piauiense de Hip Hop (confirmado).

  • Ancestralidade, Juventude e Trabalho: Desafios de construir um mundo mais do nosso jeito - MC Nego

  • Jorge - Casa do Boneco de Itacaré (confirmado)

12:30 as 13:30 – almoço

13:30 às 18h – Roda de Encontro e Ação

18:30 – Janta

Atividade cultural

Dia 06 - sábado

8:00hs as 11:00hs:

Roda de Saber Matriz Africana

  • Comunicação, apropriação tecnológica e Matriz africana - Mãe Beth de Oxum – Terreiro da Umbigada - Olinda/PE (confirmada)

  • Saberes Africanos: as linguagens do nosso povo - Lumumba (a confirmar)

  • Educação para população negra: cenário e desafios para fortalecimento da Matriz africana - Rachel de Oliveira – Projeto de Multiculturalismo da Universidade Estadual de Santa Cruz - Ilhéus (confirmado)

  • Racismo e Matriz Africana: Marinho Rodrigues – Terreiro de Matamba Tombenci Neto - Ilhéus/BA (confirmado)

Roda de Saber Saúde da População Negra

  • Religiosidade e Medicina: as fronteiras entre o sagrado e o científico - Mãe Lúcia de Oya - Terreiro de Ylê Axé Oyá Togum - Olinda/PE (a confirmar)

  • A Política Nacional de Saúde da população Negra - Ministério da Saúde (a confirmar)

  • Anemia Falciforme -invisibilidade (?) e política pública - Altair Lira - Associação Baiana dos Portadores de Anemia Falciforme - Salvador/BA (confirmada)

  • A saúde nas diferentes etnias com ênfase na saúde da mulher negra: Ancestralidade espiritual e cultural preservada pelas parteiras tradicionais. - Suely Carvalho fundadora do CAIS do Parto e coordenadora da Rede Nacional de Parteiras Tradicionais.(confirmada)

Roda de Saber Meio Ambiente

  • A apropriação de tecnologias limpas e sua prática - Jorge Rasta - Educador Popular e Coordenador da Casa do Boneco de Itacaré (confirmado)

  • Etnodesenvolvimento - Nilce – Comunidade Quilombola de Pedra Preta Barra do Turvo ( confirmada)

  • Conservação da Natureza e Comunidade - Volney Fernandes - Engenheiro Agrônomo - Mestre em Desenvolvimento Sustentável e Conservaçao da Natureza - Ilhéus e Francinete Pereira - técnica em Meio Ambiente - Alcântara/MA (confirmados)

  • Política do Impossível e a experiencia de um gerador de energia feito de lixo tecnológico - Pietssa (a confirmar)

12:30 as 13:30 – almoço

13:30 às 18h – Roda de Encontro e Ação

18:30h anta

19:30 às 22h – Assembléia final – Núcleos de Formação e atuação Rede Mocambos – Estratégias e fortalecimento regional Coordenação: Sayonara Malta e Francinete Pereira Relatoria: Daniele Santos

22h = Cultural de encerramento – livre para integrações com outros estados

Dia 07 - domingo

8h - Concentração na Casa do Boneco - Divisão de grupos para trilharem caminhos de quilombos e terreiros


IX Caruru de Ibejis da Casa do Boneco


























IX Caruru de Ibeji da Casa do Boneco de Itacaré
Dia 02 de outubro de 2010

O caruru é um prato oferecido em cerimoniais ou obrigações do candomblé, simboliza uma coletânea de pratos ofertados aos orixas como a farofa de Exu, o milho branco de Oxalá, as pipocas de Omolu, o vatapá de Nanã, a quiabada de Oxossi, o feijão fradinhode Yansã, a muqueca de peixe de Yemanjá, feijão preto de Ogum o arroz e banana de Oxum, a rapadura e as balas dos Ibejis
No sincretismo associou-se os Ibejis aos culto dos Gemeos Cosme e Damião, ambos representam a religiosidade das crianças, por isso em toda celebração temos além dos pratos do caruru, quitandas de frutas, distribuição de muitas balas e doces em agradecimento aos espítiritos das crianças.
A história do caruru da Casa do Boneco surge com o nascimento com 6 meses e meio da pequena Lori, quando seu pai Jorge Rasta resgata a tradição do caruru de seus ancestrais.

O caruru da Casa do Boneco é servido anualmente para cerca de 400 pessoas, ao ar livre (em homenagem ao orixá Tempo) em sua sede em Itacaré, reunindo dezenas de famílias em uma celebração que marca o calendário entre as principais celebrações que realiza.